Um grande Mestre e o Guardião, dividiam a administração de um mosteiro zen. Certo dia, o Guardião morreu e foi preciso substituí-lo.
O Grande Mestre reuniu todos os discípulos para escolher quem teria a honra de trabalhar diretamente ao seu lado.

– Vou apresentar um problema – disse o Grande Mestre. E aquele que o resolver primeiro, será o novo Guardião do templo.
– Terminado o seu curtíssimo discurso, colocou um banquinho no centro da sala. Em cima estava um vaso de porcelana caríssimo, com uma rosa vermelha a enfeitá-lo.
– – Eis o problema – disse o Grande Mestre.

Os discípulos contemplavam, perplexos , o que viam: os desenhos sofisticados e raros da porcelana, a frescura e a elegância da flor. O que representava aquilo ? O que fazer ? Qual seria o enigma ?
Depois de alguns minutos, um dos discípulos levantou-se, olhou o mestre e os alunos à sua volta. Depois, caminhou resolutamente até o vaso e atirou-o no chão, destruindo-o.

– Você é o novo Guardião – disse o Grande Mestre para o aluno.

Assim que ele voltou ao seu lugar, explicou:
– Eu fui bem claro: disse que vocês estavam diante de um problema. Não importa quão belo e fascinante seja, um problema tem que ser eliminado.

“Um problema é um problema; pode ser um vaso de porcelana muito raro, um lindo amor que já não faz mais sentido, um caminho que precisa ser abandonado – mas que insistimos em percorrê-lo porque nos traz conforto.”

“Só existe uma maneira de lidar com um problema: atacando-o de frente. Nessas horas, não se pode ter piedade, nem ser tentado pelo lado fascinante que qualquer conflito carregar consigo.”

Esta história retrata bem o que significar gerenciar, liderar uma empresa. Muitas pessoas que estão pensando em abrir uma empresas, ou aquelas que já tem, tem que estar atento quando um problema surge, ou mesmo, está para surgir. Não podemos ficar parados, deixando o problema crescer.
Liderar um grupo, exige do líder a capacidade de entender o que se passa a sua volta e agir imediatamente quando um problema acontece. Muitas pessoas ficam pensando, ficam analisando o fato. Analisar um fato antes de tomar uma decisão é o correto. Analisar, analisar, analisar, é transformar uma situação em um grande problema, pois neste momento acontece a paralisia do grupo e aí tudo pára e o resultado é o fato se tornar uma grande complicação que fatalmente irá gerar desgastes entre as pessoas, perda de tempo, retrabalho, e consequentemente o resultado será o pior possível.
Em muitas empresas, seja ela pública ou privada, isto acontece com uma grande freqüência . Quem está no comando tem que entender, quanto mais rápido encarar o problema de frente, quanto mais rápido descobrir a causa que originou o problema, mais rápido a empresa irá voltar ao seu ritmo normal.

Todas as vezes que pegamos um problemas e adiamos a tomada de decisão, maior ele irá ficar, e vai chegar ao ponto que o problema vai ficar maior do que o comando que está à frente para resolvê-lo.
Não adianta ficar protelando tomada de decisão sobre um problema. Devemos ter a segurança, a coragem de resolvê-lo imediatamente. Muitas empresas tem problemas, sejam eles, financeiros, de gestão, de controles etc, mais por adiar um decisão do que por desconhecimento do fato. O tempo hoje , dentro de uma empresa é valioso. Devemos entender que em muitos momentos, ficamos deslumbrados com uma situação e não avaliamos os fatos com racionalidade. Quando estamos às frente de uma empresa, não podemos vêr os fatos com emoção e sim avaliar com bom senso, equilíbrio, avaliar os fatos e tomar a decisão de forma consciente, sem ser parcial. Todas as vezes que uma empresa adia uma decisão sobre um problema, a empresa irá acumular outros problemas e no final não irá conseguir resolver nenhum deles.

Em uma empresa, seja pública ou privada, onde o comando sabe tomar decisões e são rápidos nas ações, todo o processo gerencial fica ágil e consequentemente fará com que o processo gerencial não sofra paralisia de decisões.